A Re Capital Celebra a Extensão do Golden Visa em Portugal

A empresa de investimento privada independente RE Capital, especializada em aquisição, promoção e gestão de ativos imobiliários, deu boas-vindas à notícia de que o programa Golden Visa de Portugal foi prorrogado até Janeiro de 2022.

“Na RE Capital, identificámos Portugal como um dos melhores territórios da Zona Euro para investir”, diz Olivier Hezelot, Chefe da Europa na RE Capital, sediada na Suíça. “Não só é um país excepcionalmente belo com grandes infraestruturas, como também oferece muitos outros benefícios aos investidores, entre os quais o acesso a taxas de juro extremamente favoráveis, bem como garantias de arrendamento e preços de compra atrativos. Além disso, o programa Golden Visa português oferece um caminho, através do investimento imobiliário, para a obtenção de residência e cidadania potencial no país, e portanto cidadania europeia. Lançado em 2012, desde então tem trazido vários milhares de milhões de euros em investimento imobiliário e mais de 2.000 candidaturas familiares por ano. Temos o prazer de informar os nossos potenciais investidores que têm ainda mais tempo para aproveitar esta oportunidade incrivelmente atrativa”.

As novas regras publicadas pelo governo (Decreto-Lei 14/2021, de 12 de Fevereiro) prorrogaram por seis meses o prazo para a autorização de residência para investimento (ARI), vulgarmente conhecido como Golden Visa, o que significa que os vistos podem continuar a ser solicitados nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto, e em zonas costeiras como o Algarve, por muito mais tempo. Até 1 de Janeiro de 2022, as regras e requisitos existentes continuam a ser os mesmos.

Os pontos-chave do anúncio do governo, a entrar em vigor a partir de 1 de Janeiro de 2022, são os seguintes:
  • Investimento Imobiliário: O montante mínimo exigido permanece o mesmo e situa-se entre 500.000 e 350.000 euros (para renovação urbana)
  • Investimento de Capital: O montante mínimo requerido é agora de 1,5 milhões de euros (anteriormente era de 1 milhão de euros)
  • Fundos de Investimento: O montante mínimo exigido é de 500.000 euros (anteriormente era de 350.000 euros)
  • Criação de emprego: O montante mínimo exigido de 500.000 euros + 5 novos postos de trabalho (anteriormente era de 350.000 euros)
  • Actividades de Ciência e Investigação: O montante mínimo exigido é de 500.000 euros (anteriormente era de 350.000 euros)

Em parceria com a Neworld, uma empresa de promoção imobiliária de origem europeia criada pelo especialista sul-africano em promoção imobiliária, John Rabie, a RE Capital tem um empreendimento conjunto que assegura que os investidores no mercado português possam contar com fortes retornos no seu investimento.

“O nosso primeiro projecto conjunto foi o LX Living, um empreendimento misto de 90 milhões de euros e 150 unidades de uso misto nas Amoreiras, um bairro residencial muito procurado no centro de Lisboa”, diz Hezelot. “O empreendimento foi lançado aos investidores na África do Sul e em Portugal em 2019 com grande sucesso”.

Para além da LX Living, a Reward Properties tem no seu portfólio actual dois magníficos empreendimentos no bairro trendy de Marvila, em Lisboa, onde um total de 300 apartamentos vão ser construídos ao longo dos próximos anos, e um quarto empreendimento recentemente adquirido no Algarve, conhecido pelas suas magníficas praias e resorts de golfe, que acrescentará mais 43 villas ao portfólio da empresa. O valor bruto dos empreendimentos em carteira alcança o valor de aproximadamente 300 milhões de euros.

“Encorajamos os investidores experientes a tirar partido da janela dourada que foi a extensão até ao final do ano do Golden Visa e a dar uma vista de olhos aos desenvolvimentos da nossa carteira”, diz Hezelot. “Pode muito bem ser a melhor decisão de investimento que alguma vez tomaram”.